espaço de mau feitio, alguma reflexão, música e outras panóplias coloridas

30
Jan 11

 

Ele entende isto, espero eu. Enquanto isso, a condução fica a meu cargo. Ontem, de Odivelas à Amadora, o meu co-piloto resolveu indicar-me um novo caminho, que passa no aeroporto. Para quem não conhece a cidade, ou melhor, os arredores, e numa escala diferente, é exactamente o mesmo que quererem ir do Alentejo ao Algarve e primeiro passarem pela capital.

(confessemos que os abraços são do melhor do mundo, que o perdermo-nos e encontrarmo-nos nos braços que sabemos de cor é a sensação de renascer completos, que as mãos que se dão quase deixam de ser mãos se não se dão, que o amor não é uma coisa, nem duas, nem milhentas, apenas é... e não se explica, que o desejo nasce porque não se perde a paixão, não diminui o sorriso e, que no fim, o que conta é que todos os segundos, por poucos que nos pareçam, estão gravados numa gargalhada que ouvimos cá dentro sempre que as saudades apertam)

(esqueçamos que somos tantas vezes o pior de nós)

publicado por Vita C às 20:56
Etiquetas:

Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
14
15

20
21
22

25
27
28
29



mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

34 seguidores

pesquisar neste blog
 
Visitantes
Por aqui
online
blogs SAPO