espaço de mau feitio, alguma reflexão, música e outras panóplias coloridas

29
Dez 09

E eu, qual Rapunzel a quem cortaram o longo cabelo, a perder-me de tédio a olhar o nevoeiro pela janela. Já bocejei mais vezes entre as 10h e as 11h do que entre ontem desde que me deitei até sair de casa. E até estou a trabalhar.

By the way (or not), desde quando é que You Know Who, aquela malta barbuda e temível, se vangloria de um ataque terrorista que falha? Fui assolapada por esta dúvida hoje a caminho do trabalho.

 

Sim, está a ser um dia produtivo...

publicado por Vita C às 11:18

28
Dez 09

Tenho consulta marcada na dentista para dia 8 de Janeiro.
Sempre me posso ir relaxando, dizendo que é só para o ano que vem...

publicado por Vita C às 20:30

27
Dez 09

 

Talvez seja dos toques de slow motion, do efeito de câmara doméstica, do preto e branco  bem construído e até dos contrastes simples e sem retoques. Dos melhores filmes para se ver enrolada no cobertor ao fim da tarde de um domingo. Entre o surreal, o brilhante e o perturbador. A ver. A rever.

Claro que amanhã não apetece ir trabalhar, sobretudo depois de uma semana entre a azáfama das compras, as férias e os miminhos e a dor de dentes que me fez passar as noites acordadas presa ao Senhor dos Aneis, a trilogia completa, que a Sic fez o favor de passar só para mim nestas madrugadas. Dor esse que teve, claro, a vantagem de não me poder empanturrar com os doces que fiz. Isso se eu ligasse a essas coisas...

Mas enfim, o importante do post: procurem Pi. Não excessivamente (senão dão numa versão banal do Max Cohen, o bizarro e genial protagonista), mas procurem-no. Veementemente.

publicado por Vita C às 19:45
Etiquetas:

22
Dez 09

E o meu pensamento pulula entre:

 

a) ainda bem que tenho sempre chocolates, montes de chocolates em casa, para poder comer nestas noitadas a tentar trabalhar;

b) qualquer dia tenho de actualizar a lista de links do blog: vou seguindo links atrás de links e tenho descoberto sítios bem engraçados.

c) será que o El Corte Inglés tem tacos Peradon (ou Perodon??)

d) será que já recuperei energia no Mafia Wars (sendo que, invariavelmente, não, não recuperei)

 

Ou seja, faltam-me dois parágrafos sobre auditorias a Sistemas de Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho... faltam-me dois parágrafos já há um tempo considerável.

publicado por Vita C às 03:17

21
Dez 09

 

Ouvi ontem na televisão sobre uma petição para um referendo a efectuar durante o Benfica - Porto relativamente ao casamento civil entre pessoas do mesmo sexo. Que a discussão ainda não tinha sido feita, que era um assunto demasiado importante.
Concordo inteiramente. É um assunto demasiado importante para quem se vê afectado por uma lei retrógrada e vê a sua orientação ser escrutinada por uma maioria discriminatória.
A orientação sexual não é uma opção nem é uma doença. Enquanto esta simples frase não for apreendida na sua totalidade por uma quantidade de imbecis, por melhor que sejam as suas intenções, não seremos verdadeiramente uma sociedade democrática. Perante o Estado, sou uma pessoa. Sou mulher, ruiva, baixa, heterossexual. Nenhum destes elementos deve ser mais ou menos importante que os outros. Sou uma pessoa. Todos estes senhores e senhoras que querem casar, perante a lei não têm nem mais nem menos direitos. Pena é que demoremos tanto tempo a reconhecê-lo.
Não precisamos de nenhum referendo para conceder a cidadãos (e cidadãs) pleno direito à celebração de um contrato, que é exactamente o que é o casamento civil. Não houve discussão suficiente? Houve foi discussão a mais, a porem as igrejas ao barulho, a sociedade portuguesa que mal sabe pensar e ainda pensa que são coisas do demónio, cuja mesquinhez de nova-riquice e pseudo-ocidentalidade ainda lhes tolda a visão.
Não me refiro a casamentos religiosos, pois sobre esses haveria ainda muito a discutir. Agora quanto ao casamento civil, parece-me que o caso já devia estar encerrado. Ponto. Final.

Perguntam-me sobre a adopção de crianças. Penso que as crianças são terríveis, inconscientes da maldade que a sua reduzida disponibilidade para aceitar a diferença. "Olha o meu pai Um e o meu pai Dois" seria mais dificil de compreender enquanto as nossas crianças não estiverem sensibilizadas para a realidade que é a existência de orientações sexuais diferentes. Repito que a orientação sexual não é uma doença  nem uma opção. Nem o DSM (a bíblia das psicopatologias que rege demasiada intervenção psicológica e psiquiátrica) aceita isso, já há muito tempo. Apenas é... diferente. 
A esta questão da adopção, sobre a qual tenho mais receio da intolerância de qua a criança seria alvo do que propriamente dos potenciais educativos de dois pais e duas mães, apenas me pergunto uma outra: será estabilidade emocional e integração social uma família heterossexual em que as mulheres são continuadamente vítimas de violência física e/ ou psicológica? Quer-me parecer que a adopção por parte de casais do mesmo sexo está para os nossos dias como as famílias monoparentais (agora delicadamente designadas de biparentais) estão os tempos dos nossos pais e avós.
A ver vamos, como sempre.

publicado por Vita C às 18:15
Etiquetas:

A culpa não é minha. O Mafia Wars está a correr bem*, já deu o Mentes Criminosas e está frio. Ainda assim,  empate técnico entre a procrastinação e a minha vontade determinada.

 

* A expansão de Bangkok deve sair antes do Natal... como passam a vida a vir aqui dar por causa disto, ao menos que preste serviço público.

publicado por Vita C às 03:29

20
Dez 09

Estou à espera da panic-induced inspiration. É que eu sou muito boa a procrastinar. E como tenho trabalhado imenso, o meu corpo vinga-se e o meu cérebro congela. Diga-se que congela literalmente, pois estou a tiritar (ou tiritando, que o gerúndio fica sempre bem) de frio.

Além de que estou com uma neura monumental. Nunca gostei de discussões e tenho um certo desconforto na gestão das mesmas.

 

Por outro lado, não tenho sono... A ver vamos.

publicado por Vita C às 23:24

Ontem:

Acabei de ler "A Guerra das Salamandras".
Avatar. Com os amigos dele e as amigas dele. Jantar de pipocas e coca-cola.
Comecei a ler as "Dragonlance" numa edição 3 livros em 1 muito apetitosa.

Hoje:

Coisa assim a atirar para o lanche em casa da (muito porreiraça) irmã dele. Incluiu troca de prendas e calhou-me a que eu tinha levado, comprada por ele, porque eu não tive tempo. Comeu-se bem.
Trabalho do curso a preconizar a noitada em que me vou meter agora. Se não for jogar Mafia Wars. Ou ler. Ou qualquer outra coisa.

Isto tinha sido tudo muito bonito se não tivesse envolvido uma discussão pelo meio. E agora vem ele perguntar-me se amanhã quero ir ver o Avatar (!!!) em 3D (!!!) com os amigos dele!!! A isto respondeu o meu mau feitio.

publicado por Vita C às 22:13

18
Dez 09

Estou de pseudo-férias. Pseudo porque tenho todas as coisinhas de Natal para preparar, e férias porque, depois de hoje estar 12h seguidas no escritório, não tenho de pôr os pés no trabalho a não ser terça-feira e é para o jantar da empresa. Claro que entretanto vai lá a senhora da contabilidade mas, oh, eu não estarei lá, que peeeeeeeeeena!

Quer isto dizer que, com a ajuda de um copinho de Porto meio roubado, o meu humor melhorou significativamente. O suficiente para me ter rido com as declarações do Santana, de ter lido as críticas sobre o Avatar e outras coisas igualmente insignificantes. Eis senão quando chego a casa, atiro as pernas para cima da almofada, o portátil para o colo e ligo o iTunes e:

 

 

 

Há aqui uma questão da maior importância: se Deus tivesse querido ser músico seria, indubitavelmente, Maynard James Keenan (desculpa Manel Cruz). Depois, era vê-l'O optar entre compor e actuar com os Tool e os A Perfect Circle. Eventualmente os Puscifer seriam deixados de parte. Em todo o caso, haveria sempre espaço para isto:

 

 

 

E para quem ainda nem fez listas nem compras de Natal, não se podem queixar de falta de prendinhas.

 

NOTA: o nome da primeira música é Freedom of Choice, mas no youtube só encontrei vídeos manhosos, daí esta "Beautiful Cataclism". Fica a correcção.
OUTRA NOTA: Ide ouvir a 3 libras, dos A Perfect Circle. É que se pusesse tudo aqui era assim algo para o ... digamos, obsessivo?

publicado por Vita C às 22:27
Etiquetas:

17
Dez 09

Que as relações tendem a ter problemas entre o Natal e o dia dos namorados.
Cá para mim é por causa das prendas. Embora no meu caso seja mesmo por causa dos nossos maus feitios.

publicado por Vita C às 22:15

Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12

14
15
19

23
24
25
26

30
31


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
Visitantes
Por aqui
online
blogs SAPO