espaço de mau feitio, alguma reflexão, música e outras panóplias coloridas

31
Jul 13

Há alguns tempos fui contactada pelo partido onde pseudo-militava para ir à concelhia debater ideias. Devo acrescentar que aderi ao mesmo num ataque de febre que me deitou à cama por uma semana há uns dois ou três anos e no qual andava desejosa de novidades e decisões súbitas. Desde aí que deixei as minhas quotas por pagar. Ainda assim, lá fui eu. Porquê e para quê? Porque acredito que para maledicência de café já estamos suficientemente bem servidos e nada como experimentar um nível de participação inócuo e, também, para averiguar do meu grau de afinidade com as propostas apresentadas para a autarquia e, sobretudo, para a freguesia (ou união de freguesias, no caso concreto).

Oeiras tem um legado sensível mas que não pode ser negligenciado, nem para o bem e muito menos para o mal. E sim, aderi às propostas que me foram feitas. Num espírito muito reticente e, ainda assim, convencido.

Vita C adere à vida política. Tenho a certeza que ainda vou ser rotulada de tachista ou, pior, de reaccionária. Para mim os partidos contam menos do que as ideias. E siga o filme!

 

* os perdedores queixam-se, os ganhadores treinam, assim em jeito de tradução livre e que perde toda a graça

publicado por Vita C às 21:45
Etiquetas:

29
Jul 13

 

 

(comemorados dia 26, celebrados todos os dias)

publicado por Vita C às 19:30
Etiquetas:

23
Jul 13

Tenho mesmo de continuar com as caminhadas. A pneumologista diz que estou gorda. Não é forte, é gorda. Eu acho que nem tanto assim, mas ela é que sabe. Gorda. Eu?? Há lá maior atentado à auto-estima? Caminhadas de meia horas cinco dias por semana e natação duas vezes. A ver se em Setembro não intensificamos qualquer coisa...

 

(o estado da nação e tal? Qual nação?)

publicado por Vita C às 21:00
Etiquetas:

13
Jul 13

 

Pedro Passos Coelho, ainda primeiro ministro - o traidor do povo traído pelo popular. Personagem pouco caricata, jotinha de profissão e político em eterno estágio. A tentativa falhada de serenidade. O "podia ter sido mas nem por sombras foi". Sem mão em Gaspar, decidiu que ter permitido que Gaspar lhe desse um tiro no pé não fora suficiente, então resolveu nomear (ou deixar nomear) Maria Luís Albuquerque. Pouca inteligência política, uma espécie de Abraracourcix, uma figura e pouco mais, cuja maior característica é ter medo que o céu (ou Cavaco) lhe caia em cima da cabeça. Dispensável e secundário neste enredo.

Paulo Portas, o ministro demissionário promovido - o animal político provocador. Portas tem talento para a política, para a retórica e para o populismo. É dos melhores oradores que Portugal viu na cena política nos últimos anos, senão na última década. Lamentavelmente, a criação da figura de Portas esbateu-se quando entrou para este governo. Arriscou bastante na sua demissão, numa jogada que poderia ter sido brilhante. Mas não foi. O memso brilhantismo que caracteriza os seus discursos condenou-o ao julgamente popular, sendo que poucos políticos voltarão a utilizar a palavra "irrevogável". Luta neste momento por manter a sua liderança do CDS-PP indiscutível e por se manter fortalecido no governo. Nenhuma das tarefas se afigura fácil.

António José Seguro, líder do maior partido da oposição - o inexistente. Tozé Seguro não existe politicamente e creio mesmo que tem medo de existir. O PS teve um erro de casting crasso ao optar pelo Tozé em detrimento do Francisco Assis. Escolha esta que leva a que nenhum português queira eleições antecipadas por achar que Tozé inseguro, o provável vencedor (Deus nos livre) não tem o que é necessário para lidar seja o que for, muito menos um país. Pode ser uma pessoa fantástica, mas é um incompetente político. Ponto.

Aníbal Cavaco Silva, que afinal está vivo - o verdadeiro animal político. Cavaco é que é "o presidente da junta". De uma só assentada, puxou as orelhas ao menino Coelho, pôs Portas no seu lugar (coisa que poucos julgariam possível) e informou o governo sobre onde reside o verdadeiro poder: algures, não se sabe onde, mas não no governo. Astutamente, fez a coisa pela calada, e quando todos estavam já a postos para um novo governo, Aníbal agitou o indicador, meneando a cabeça, ora aqui estão as condições. Peca por tardio, peca por inconsequente em termos práticos (poucos duvidam da confirmação do segundo resgate), mas um tiro político certeiro como poucos.

Assunção Esteves, por quem ninguém dava nada - a assustadiça ex-defensora da democracia. Claro que os deputados não foram eleitos para terem medo ou para serem desrespeitados... Mas também então que não façam o povo temer o futuro e, sobretudo, não desrespeitem o povo (e o povo não se resume aos manifestantes). A Assembleia da República é a casa da democracia neste país, e os deputados (e à presidente, sustentados por todos nós) foram eleitos para representar o povo a quem pretendem fechar as portas da casa da democracia. Uma resposta brilhante, concisa aqui.

 

(cartoon do Henrique Monteiro, disponível na secção de cartoons do sapo)

 

[post agendado]

publicado por Vita C às 12:13
Etiquetas:

12
Jul 13

... ouve-se Green Day. Morar em Algés tem coisas boas durante o Alive. Estacionar, no entanto, pode revelar-se uma tarefa impossível.

publicado por Vita C às 23:11
Etiquetas:

10
Jul 13

Estava no call center no modo administração (portanto, sem possibilidade de fazer ou receber chamadas) a navegar em sites de emprego, enviar CV, etc.. Um colega pasmado:

- Então, mas tu estás em administração?

- Yup.

- E não tens medo que te apanhem?

- Medo? O que é que podem fazer? Despedir-me? Isso já fizeram... a seguir, só se me despentearem!

 

(fomos despedidos oito em dois dias... quanto a mim, já tive uma entrevista esta manhã, e o meu último dia lá será na próxima semana)

publicado por Vita C às 20:42

09
Jul 13

publicado por Vita C às 15:47

03
Jul 13
Ainda não tenho reacção à cena trágico-cómica com que estamos a ser
brindados. Mas estou bastante preocupada, parece-me claramente
insustentável termos eleições de dois em dois anos.
Discernirei mais quando o senhor PR se pronunciar (e desde já louvo o
esforço que o Miguel Sousa Tavares fez ontem de cada vez que se
referia a Cavaco, enquanto comentava a actualidade).
publicado por Vita C às 12:11

Julho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11

14
15
16
17
18
19
20

21
22
24
25
26
27

28
30


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

34 seguidores

pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
Visitantes
Por aqui
online
blogs SAPO