espaço de mau feitio, alguma reflexão, música e outras panóplias coloridas

16
Nov 15

Há um medo que se instala devagarinho. Uma ténue mas persistente picada no peito. Um desconforto, inicialmente ligeiro, agora mais perceptível, que escala pelas paredes deste corpo enquanto estes olhos, incrédulos, fitam o horror. 

Esta (des)humanidade aterroriza-me. Nao porque deixe de acreditar na bondade, mas porque cada vez vejo que essa bondade vale menos. Porque o rastilho intolerante dos ignorantes se torna uma metralhadora giratória, quando o amor e a bondade sao, de facto, a única resposta que evita uma escalada insensata. Nao querendo ser ingénua, pergunto-me se os verdadeiros responsáveis sao, de facto, consciente do impacto das suas accoes. Na verdade, estes responsaveis, imagino-os esfregando as maos, maquiavélicos, enquanto nós respondemos aos seus cordelinhos de marionetas. E é apenas isso em que o ódio nos torna. Marionetas. 

Marionetas amedrontadas, para ser mais precisa. 

publicado por Vita C às 09:23

3 comentários:
Tens razão... mas como podemos não sentir ódio perante tais atitudes? É quase impossivel...
Anónimo a 16 de Novembro de 2015 às 14:16

Sim, entendo. Creio que podemos sentir revolta, desespero. Mas ódio parece-me demasiado. Acho que aí sim, teremos de facto perdido esta batalha. Entre "nós e eles", que diferenca haverá entao?
Vita C a 17 de Novembro de 2015 às 13:44

Nenhuma! Tens mais uma vez razão... (Isto começa a ser irritante! )
soumaiseu a 18 de Novembro de 2015 às 11:05

Novembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
13
14

15
17
19
20
21

22
24
25
27

29
30


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

34 seguidores

pesquisar neste blog
 
Visitantes
Por aqui
online
blogs SAPO