espaço de mau feitio, alguma reflexão, música e outras panóplias coloridas

07
Fev 12

Piegas. É esta a palavra que anda a chocar meio Portugal enquanto a outra metade do país tenta ainda salvar o que pode. O nosso PM exorta-nos a não sermos piegas, a sermos exigentes, a pronunciarmos as palavras com uma dicção cuidada e a levarmos a cabo os nossos dias de forma séria, para que não seja só para inglês ver.

Pois bem, o que o nosso caro PM, eleito democraticamente (pela maioria da minoria que resolveu ter o trabalho de se deslocar às urnas, por mais descrente que fosse o seu voto), não se apercebe é que não somos um povo piegas. Ah sim, a nossa veia latina dá-nos para ser cheios de garganta mas mansos e pacíficos no momento da verdade. Mas piegas, ora essa, isso é que não. Piegas é aquele que se lamenta cheio de medo porque fez um dói-dói no joelho ou no cotovelo e arde quando põe álcool.Ou que se lamenta por ter apenas dezenas de milhar de euros por mês, mas isso foi chão que já deu uvas e azedou.

Agora um país cuja grande maioria vê serem decepados os seus direitos e se lamenta não é ser piegas, meu caro Pedro, é ver-se aflito. Por não se saber, por exemplo, se se tem comida para pôr na mesa até ao fim do mês e nem saber sequer se se recebe no fim do mês.

Carnaval? Quero lá saber, já temos um palhaço no poleiro, não precisamos de cabeçudos. Mas este ano, senhor PM, não havendo feriado ou tolerância de ponto, já não se pode resguardar com o ser Carnaval e ninguém levar a mal. Porque estamos a levar muito a mal a sua subserviência para com a Troika e a sua falta de serviço para com o povo que o elegeu. Somos também o seu patrão, ou já se esqueceu? Então não nos lixe o juízo e veja se começa a fazer o seu trabalho. Porque essa de vir dizer que somos piegas e que andámos a viver acima das possibilidades pode resultar com algumas pessoas, mas em 31 anos de vida, lhe garanto que nunca vivi acima do parco nível das minhas possibilidades e nunca me queixei por não ter isto, não ter aquilo, não fazer férias aqui e acolá. Mais facilmente me queixo por ter de pagar ainda resquícios de um empréstimo para tirar o mestrado em 2005 (e estamos em 2012, certo?). Mas nunca pensei que estudar numa universidade pública fosse viver acima das minhas possibilidades. Por isso, senhor Pedro, se não tem desculpa melhor para nos chular, ao menos que admita a sua incompetência.

E dos feriados, consullte aqui e compare com isto para averiguar se era mesmo necessário retalhar datas marcantes na nossa História para agradar à menina Angela. 

Vergonha na cara era pedir muito, eu sei, por isso peço-lhe ao menos que tenha tento na língua. Piegas não somos, mas burros também não...

publicado por Vita C às 09:37
Etiquetas:

14 comentários:
"Somos também o seu patrão, ou já se esqueceu?" Somos mesmo o único patrão! Era o bem estar dos portugueses que lhe devia interessar e ser a primeira das suas prioridades. Não é. É triste que assim seja.
J.B. a 7 de Fevereiro de 2012 às 10:03

A minha veia radical concorda em absoluto com o sermos o único patrão. Mas entendo que andemos também ao sabor das marés europeias, a quem muito devemos (embora por vezes duvide da qualidade e boa vontade das oferendas). Ainda assim, deveríamos, claro, ser a primeira das prioridades, e parece-me que não estamos sequer no top 10.
Vita C a 7 de Fevereiro de 2012 às 14:01

Sim, é por aí. Deveríamos ser a primeira das prioridades e as nossas necessidades nunca são tidas em conta. Óbvio que fazemos parte da UE e temos que nos "sujeitar" a determinadas coisas. Mas a nossa sujeição tem por limites a nossa soberania enquanto país, e a soberania de um povo eleitor, num Estado dito de direito e democrático. Já ficamos sem moeda própria, e entretanto os nossos "governos" já não o são. A nossa dependência externa cresce de dia para dia e com ela vem a extrema sujeição a exigências de "potências" que só olham para os seus interesses. Não são eles que estão mal, somos nós!
J.B. a 8 de Fevereiro de 2012 às 10:53

Precisamente! E agora ainda vem o PM dizer que estamos a dar demasiada importância à expressão, que não passa de um fait-divers ... Lá está, não precisamos de Carnaval, com um PM destes garantidamente não precisamos de Carnaval... Triste, muito triste.
Vita C a 8 de Fevereiro de 2012 às 12:17

Bravo! Muitissimo bem escrito! Muitissimo bem argumentado! Eu assino por baixo! :-)
soumaiseu a 7 de Fevereiro de 2012 às 12:02

Obrigada, Soumaiseu :) Este é um espaço pequeno, mas bastante receptivo a ideias, sugestões, críticas e, porque não?, elogios.
Vita C a 7 de Fevereiro de 2012 às 14:04

A realidade portuguesa, do "povinho" piegas, não chega ao Sr. PM , uma vez que este não deve saber o que é chegar a meio do mês, sem ordenado para o essencial. Quem actualmente, se predispuser a liquidar todos os seus gastos mensais, sem deixar nada por pagar, habilita-se a passar necessidades essenciais a partir do dia 10 de cada mês. Num país, onde a cultura (taxada a 13%) é mais importante que a electricidade (taxada a 23%), e onde é premiada a mediocridade (caso mais que explicito da maioria dos políticos, que se limitam a reger-se por regras impostas, sem tirar as palas para verificar se serão, ou não as mais correctas), é cada vez mais difícil, acreditar num futuro melhor. Lamentamos que o nosso PM seja covarde para não enfrentar os todo-poderosos da Troyka , e que a oposição nem sequer tenha uma posição coerente. A Angela quer que façamos sacrifícios? Ela que tente fazer isso ao povo dela... Apoio totalmente a autora pela sua revolta, porque nós não somos piegas, somos é demasiado civilizados!
Neka a 7 de Fevereiro de 2012 às 14:25

Neka, ficar sem dinheiro a dia 10?
Para isso era preciso receber bastante mais e a tempo e horas (o que nem sempre sucede).
Concordo inteiramente consigo. Há bens essenciais e bens menos essenciais. Apoio integralmente a cultura, mas não entendo essa questão do IVA a 13% quando bens alimentares pularam para os 23%. Mas lá está, é esta mediocridade que temos (e não se vislumbra grande melhoria, da direita à esquerda, de alto a baixo).
Não podem ser sempre os mesmos a levar por tabela, mas não sou extremista: se queremos direitos temos de ter deveres. Mas, caramba, com estas tareias todas, era tempo de vermos, de facto, alguma coisa a melhorar, e não um pacóvio a dizer que somos piegas quando nem sequer sabe do que está a falar.
Vita C a 7 de Fevereiro de 2012 às 14:54

Boa tarde ou talvez já boa noite. Depois de ler uma crónica bem escrita e com as palavras ditas pelo nome, lhe dou os parabéns. Pelo que li é realmente uma jovem perante a minha pessoa que sou mais velha, e admito ser uma jovem com coragem e sem "papas na língua" como diz o velho ditado. Este PM, anda a tratar os portugueses como de gringos se tratassem, pagar temos pago e muito, não se lembra de tanto jovem sem emprego, para não falar dos mais velhos que não tem para onde ir!Eu o Carnaval como nem ligo muito ao dia, e estou de igual modo nas tintas para ele, agora direitos adquiridos na constituição e nos roubarem os mesmos. Temos direito a indignação e chamar os portugueses de piegas não porque eu pessoalmente sempre trabalhei e não tenho medo do trabalho. Agora eles falam muito e trabalho de casa nada, e assim vamos continuar até cair tudo ao buraco.
Desculpe a invasão do espaço e vou vir mais vezes. Abraço
maripossa a 7 de Fevereiro de 2012 às 19:48

Boa noite, sim.
Antes de mais, não é uma invasão de espaço, este é um espaço aberto :)
Obrigada pelo elogio. De facto, estes senhores nada sabem da vida real... Como ouvi há pouco no noticiário, comentava um senhor que foi entrevistado na rua, "piegas são os deputados, agora quem vive com 400 € e sobrevive, esses não são piegas, são heróis".

Vita C a 7 de Fevereiro de 2012 às 21:03

Também ouvi esse senhor! Tiro-lhe o chapéu! Todos nós cometemos erros e dizemos coisas que a seguir nos arrependemos, mas enquanto PM, e enquanto figura pública o Senhor Coelho tem responsabilidades acrescidas... era bom que os nossos politicos fechassem a boca antes de atirar bujardas para o ar... não basta massacrar o povo português? É preciso maltratá-lo também? Tenham paciência!
soumaiseu a 8 de Fevereiro de 2012 às 12:38

Claro que todos cometemos erros, mas há posições e posições, que nos permitem ou não ter deslizes destes ... não houve um ministro que se demitiu por fazer corninhos em plena Assembleia da República (Manuel Pinho)? Corninhos estamos todos com vontade de fazer ao PM... Agora hão-de estar os assessores de comunicação e imagem todos em polvorosa a ver como descalçam esta bota. Mas não descalçam, que o povo (o verdadeiro povo) está farto!
Vita C a 8 de Fevereiro de 2012 às 14:39

Dou-lhe os meus parabéns pelo seu post.
Fiquei chateada com a infeliz palavra do senhor 1º e não só... Há mais.
Afinal, não foi só o PR que foi infeliz.
Cumprimentos
Maria Araújo a 7 de Fevereiro de 2012 às 22:14

É verdade, Cantinhodacasa, nem só o PR foi infeliz.
Além das acções e omissões, o senhor PM nem a comunicar esteve bem. E os portugueses bem precisavam que alguém lhes explicasse as negociatas que este (des)governo anda a fazer.
Agradeço o elogio, sabe sempre bem.
Vita C a 7 de Fevereiro de 2012 às 22:45

Fevereiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

30 seguidores

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO