espaço de mau feitio, alguma reflexão, música e outras panóplias coloridas

19
Fev 09

Ter de formatar o portátil no 2º dia de férias fez-me perder o directo de uma controversae acesa discussão na blogosfera portuguesa. A Pipoca e o Bruno, cujos blogs são famosíssimos per se, degladiam-se em torno do que é (ou pode ou deve ser) um blog pessoal. E como em tudo, ou quase tudo, na blogosfera e não só, é muito fácil passar dos pseudónimos que nos protegem ou reiventam para a extrapolação pessoal.

Tudo bem! E tudo bem porquê? Porque as pessoas não são ou uma coisa ou outra (notem a importância da mudança de cor e do negrito). Portanto, nada de coros indignados, eu posso ser uma besta (por acaso só às vezes) e ao mesmo tempo uma óptima pessoa  (quase quase sempre). E como eu, qualquer blogger que se preze. E eu prezo, que já me aventuro nisto há uns anos. Cada uma das minhas personalidades mais marcantes tem um blog no blogger, e agora nasceu este no sapo, mais recatado e escondido, tanto que nem tem comentários ainda! Portanto, eu sou uma coisa e sou outras e mais outras. O ou/ou versus e/e é uma falsa dicotomia, amplamente discutida em termos do crescimento e realização psicológica do ser humano. Aceitem ou não, isso nem me importa. O preocupante é rotular um nick e encaixá-lo em gavetinhas de afectos (adooooooooooooooooooooro o blogger A ou odeeeeeeio de morte o blogger B).

Ainda assim, o cerne da questão aqui está naquilo que cada um entende por blog. Se a Pipoca (ou a Maria Guilhermina ou a Hermengarda ou mesmo eu) gosta de falar de sapatos e viagens ou do Benfica, é lá com ela (embora eu prefira de coração o Sporting e acima dos 2 centímetros para mim todo o sapato é impossível de calçar). É com ela, só ela, e mais ninguém. E quem lê, lê porque quer. Que eu saiba, até à data, o blogger (nem o sapo) ainda não tem controlo sobre os nossos browser de forma a nos redireccionar, contra nossa vontade, para um blog que não gostemos (pessoal do blogger e do sapo, se aproveitarem a ideia, não se esqueçam dos direitos de autor que isto anda em tempo de crise e toda a ajuda é bem-vinda). Da mesma maneira, se o Bruno (ou o Manel Joaquim ou eu mesma) não gostar do blog da Pipoca (ou do meu, se bem que isso é praticamente impossível), tem igualmente todo o direito a manifestar-se. A sério que sim!

 

Este post, meus caros, não serve para defender a Pipoca (cujo blog refrescante eu gosto, e muito, além de que se defende muito bem sem ajuda) ou para atacar o Bruno (cujos textos estou apenas a começar a descobrir), mas sim para nos lembrar que isto da virtualidade, como tudo o que é bom, não passa de uma faca de dois gumes, um pau de dois bicos, ou uma grandesíssimo e ambíguo ponto de interrogação.

E para dizer que este blog, estezinho, aqui escondido, é apenas e tão só um blog pessoal. Onde eu escrevo umas coisas razoáveis e outras completamente absurdas. Get used to it.

publicado por Vita C às 22:36

4 comentários:
O seu comentário no blogue da Pipoca, foi o que mais me fez rir esta noite :)

Obrigado (estou a ser sincero)
Bruno Fehr a 20 de Fevereiro de 2009 às 01:35

Oh Bruno ... A blogosfera de tão virtual que é, tem merdas destas. São as regras do jogo.

Mas vou seguir o seu blog, sim? Só lhe deixo o aviso para não esperar muito deste :)
Vita C a 20 de Fevereiro de 2009 às 02:00

Gostaria de salientar que o meu texto não foi sobre a Pipoca, mas sim sobre o estado da blogosfera agora em contraste com o que era há 5 anos.

No final, eu dou a minha opinião sobre o que é um bom blogue (o da Vieira, que a Pipoca conhece muito bem), bem como um blogue que não gosto. Ou seja, o que fiz foi dedicar um ÚNICO parágrafo à Pipoca com a minha opinião sobre o seu blogue e um outro com a minha opinião sobre o blogue da Vieira. Mas ambos esses parágrafos, representam unicamente . quem sabe, 5-10% do texto?

Mesmo que se ignore todo o meu texto e ele tenha um valor ZERO, e nos concentremos na parágrafo dedicado à Pipoca. Isso não passa de uma crítica. Se podemos criticar; filmes, imagens, reportagens, livros, etc. porque motivo não podemos criticar blogues? A sério que não percebo. Se um blogue pode ser feito livro, será que só podemos criticar o livro e o blogue é intocável?

Teci um comentário que é a minha opinião pessoal, no meu blogue pessoal e tenho o direito de o fazer, doa a quem doer.
Da mesma maneira, aceito o texto da Pipoca dedicado a mim. Ela até me pode dar 15-0 em escrita, mas certamente não com um texto assim. Poderia dar-me 20-0, que a minha opinião não mudava. Eu já critiquei o Markl e foi mesmo um texto sobre o blogue e trabalho dele, no entanto ele aceitou a critica e até me respondeu via E-mail.

A blogosfera felizmente é um local ainda livre e enquanto o for, eu falarei do que bem entender, só le quem quer, comenta quem quer, eu aceito TODOS os comentários e apesar de moderar publico-os (Modero pois existe um anónimo a comentar dados pessoais meus e acho isso de mau gosto). Dou voz a todos os comentário e respoderei com educacao aos educados e com arrogancia aos mal educados, pois aquele espaco é a minha casa. No entanto a Pipoca, por seu lado não publica os meus, não tenho o direito de me defender do seu texto, mesmo comentando eu como anónimo sem referencias ao meu espaco.

Quem tornou este texto "all about Pipoca", foi a própria.

Confesso que os comentários descambaram em trocas de má educacao em muitos casos, não me orgulho, MAS não podem vir a minha casa e urinar no meu tapete.
Bruno Fehr a 20 de Fevereiro de 2009 às 02:20

Toda a razão. Deixemos a Pipoca e o Bruno Fehr e concentremo-nos no que é verdadeiramente importante :) só lê quem quer e diz o povo que a carapuça serve a quem a quiser enfiar. um bom fim de semana, muito descanso, e a certeza de, pelo menos, ter esclarecido alguns pontos importantes.
Vita C a 20 de Fevereiro de 2009 às 13:00

Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
13
14

15
17
18
20
21

22
25
26


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

30 seguidores

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO